DSpace Repository

Geologia, estratigrafia e petrologia da porção sul do Complexo Máfico-ultramáfico de Canabrava, Goiás

Show simple item record

dc.contributor.author LIMA, Thiers Muniz
dc.date.accessioned 2013-12-10T19:01:44Z
dc.date.available 2013-12-10T19:01:44Z
dc.date.issued 1997
dc.identifier.citation LIMA, Thiers Muniz. Geologia, estratigrafia e petrologia da porção sul do Complexo Máfico-ultramáfico de Canabrava, Goiás. Brasília, 1997. Dissertação (Mestrado em Geociências)-Instituto de Geociências. Universidade de Brasília, Brasília, 1997.
dc.identifier.uri http://rigeo.cprm.gov.br/jspui/handle/doc/139
dc.description ^aDissertação^bMestrado em Geociências
dc.description.abstract A área de estudo está localizada próxima à cidade de Minaçu-GO, compreedendo uma seção transversal à porção sul do Complexo Máfico-Ultramáfico de Cana Brava, Goiás. Este Complexo representa uma intrusão acamadada situada no Maciço de Goiás da Província Tocantins e foi subdividido em Zona Máfica Inferior, Zona Ultramáfica e Zona Máfica Superior, reunidas sob a denominação de Série Cana Brava A Zona Máfica Inferior inicia-se por olivina-melagabronorito, superposto por metagabronorito e localizadas intercalações de metapiroxenitos, constituindo-se em um grupo de borda. Na Zona Ultramáfica predominam seqüências de metaperidotito-piroxenito, enquanto a Zona Máfica Superior é formada por sete subzonas, compostas de um membro piroxenítico na base, e um membro metagabronorítico (metanorítico), no topo As relações estratigráficas entre as unidades, análises petrográficas, de química mineral e de rocha, forneceram subsídios para a identificação da diferenciação magmática no complexo. Na Zona Máfica Inferior observa-se aparentemente um contínuo trend de diferenciação magmática da base até o topo da unidade. Na Zona Ultramáfica e Zona Máfica Superior foram identificados repetidos e similares trends de fracionamento magmático, indicando a presença de unidades cíclicas devido à entrada de vários pulsos de magma, constituindo-se portanto em um sistema aberto. Os padrões de distribuição de elementos terras raras nos líquidos que deram origem aos cumulatos da base da Zona Máfica Inferior e das unidades cíclicas da Zona Máfica Superior, apresentam-se similares. As características magmáticas do complexo são semelhantes a de outras intrusões acamadadas de filiação toleiítica, em especial às do Complexo de Niquelândia onde foram|observados idênticos trends de fracionamento dos pares de piroxênio|Na área de estudo estão impressas as características de uma extensiva deformação dúctil, com o aumento da intensidade da deformação em direção à base do complexo. Os contatos com o Complexo Granito-Gnáissico e a Seqüência Vulcano-Sedimentar de Palmeirópolis são tectônicos No Complexo Máfico-Ultramáfico de Cana Brava desenvolveu-se paragênese metamórfica do fácies granulito, associada a este evento de deformação. O principal alvo prospectivo para os elementos do grupo da platina (EGP), na Zona Máfica Superior, situa-se na base de cada unidade cíclica, formada pelo membro piroxenítico
dc.language 1
dc.subject EXPLORAÇÃO MINERAL
dc.subject GRUPO DA PLATINA
dc.subject PGE
dc.subject BRASIL
dc.subject GOIÁS
dc.title Geologia, estratigrafia e petrologia da porção sul do Complexo Máfico-ultramáfico de Canabrava, Goiás
dc.local Brasília


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics