Please use this identifier to cite or link to this item: https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/15051
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorKOEFENDER, Amália-
dc.contributor.authorMARCUZZO, Francisco Fernando Noronha-
dc.date.accessioned2015-11-25T18:58:56Z-
dc.date.available2015-11-25T18:58:56Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier.citationKOEFENDER, Amália; MARCUZZO, Francisco Fernando Noronha. Análise de diferentes MDE no cálculo de área de drenagem e perímetro de estações fluviométricas na Sub-Bacia 76. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 21., 2015, Brasília, DF. Anais... Brasília, DF: ABRH, 2015. Disponível em: <http://www.evolvedoc.com.br/sbrh/detalhes-868_analise-de-diferentes-mde-no-calculo-de-area-de-drenagem-e-perimetro-de-estacoes-fluviometricas-na-sub-bacia-76>. Acesso em: 13 nov. 2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/15051-
dc.description.abstractAntes de desenvolver qualquer projeto baseado em Modelos Digitais de Elevação (MDE), é importante que se analise qual o modelo que melhor representa as características que influenciarão o estudo. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo comparar e interpretar os resultados obtidos para o cálculo de área de drenagem de estações fluviométricas da sub-bacia 76, utilizando diferentes MDE. Os modelos empregados no estudo foram o SRTM30, o ASTER GDEM e o TOPODATA, todos com resolução espacial de 30m, e a delimitação das áreas de drenagem foi executada no programa ArcGIS, utilizando sua ferramenta ArcHydro. Em seguida os resultados foram comparados com aqueles disponibilizados pela Agência Nacional de Águas e com aqueles obtidos no MDE elaborado por Hasenack e Weber, através de interpolação, com resolução espacial de 60m. Na comparação com os dados da ANA, o modelo que apresentou os resultados mais próximos foi o MDE de Hasenack e Weber, seguido pelo SRTM30, o TOPODATA e por ultimo o modelo ASTER. Concluiu-se que em áreas de maior declividade, os MDE apresentaram resultados bastante precisos, mas em áreas mais planas e altas manifestaram alguns problemas na delimitação.pt_BR
dc.description.abstractO estudo abrangeu as seguintes estações fluviométricas, extintas e em atividade, com leitura linimétrica (F) na sub-bacia 76 (bacia do rio Ibicuí): Parada Chagas, São Lucas, Júlio de Castilhos, Dom Pedrito/CORSAN, Rio Santa Maria (Dom Pedrito), Passo dos Farrapos, Ibicuí da Armada, Rosário do Sul, Azevedo Sodré, Saica, Passo da Laje, PCH dos Gatos, PCH Umbu, Rio Jaguari, Passo do Camilo, PCH Rio Itu, Cachoeira Santa Cecília, Passo do Firmino, Ponte do Lajeadinho, Alegrete – Eletrosul, Ponte do Jararaca, Passo do Mariano, Pinto Passo do Ibicuí. E as seguintes estações fluviométricas com medição de descarga líquida (FD): 76077000 Usina Quebra Dente, 76081000 Guaçupi, 76085000 Cachoeira 5 Veados, 76100000 Vila Clara, 76120000 Ponte Toropi, 76200000 Passo Santa Vitória, 76250000 Dom Pedrito, 76251000 Dom Pedrito, 76260000 Passo do Guterres, 76300000 Ponte Ibicuí da Armada, 76310000 Rosário do Sul, 76360001 Azevedo Sodré, 76370000 Azevedo Sodré, 76380000 Cacequi, 76395000 Passagem BR-287, 76400000 Foz do Rio Santa Maria, 76421000 Passo dos Cardosos, 76431000 PCH Furnas do Segredo Jusante, 76440000 Jaguari, 76460000 Ernesto Alves, 76470000 Passo do Jaguarizinho, 76490000 Passo do Loreto, 76500000 Jacaqua, 76550000 Ponte do Miracatu, 76560000 Manoel Viana, 76600000 Passo do Itaum, 76650000 Passo da Cachoeira, 76700000 Passo dos Britos, 76742000 Passo do Osório, 76750000 Alegrete e 76800000 Passo do Mariano Pinto. O estudo abrangeu os seguintes cursos d'água: Rios Ibicuí Mirim, Toropi, Jaguarí, Itu, Jaguarizinho,Santa Maria, Ibirapuitã e os Arroios Caverá, Miracatu, Pai Passo, Inhandui, Ibirocai, Touro Passo e Bororé. O estudo abrangeu, em parte ou totalmente, as áreas dos municípios de: Alegrete, Barra do Quarai, Cacequi, Capão do Cipó, Dilermando de Aguiar, Itaara, Itaqui, Jaguari, Jarí, Jóia, Júlio de Castilhos, Maçambará, Manoel Viana, Mata, Nova Esperança do Sul, Quaraí, Quevedos, Rosário do Sul, Santa Maria, Santana do Livramento, Santiago, São Borja, São Francisco de Assis, São Martinho da Serra, São Pedro do Sul, São Vicente do Sul, Toropi, Tupanciretã, Unistalda, Uruguaiana.-
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherABRHpt_BR
dc.rightsopenpt_BR
dc.subjectHIDROLOGIApt_BR
dc.subjectFLUVIOMETRIApt_BR
dc.subjectRIO IBICUÍpt_BR
dc.subjectMODELO DIGITAL DE ELEVAÇÃOpt_BR
dc.subjectSUB-BACIA 76pt_BR
dc.subjectREDE HIDROMETEOROLÓGICA NACIONAL-
dc.subjectOTTOCODIFICAÇÃO-
dc.subjectDIVISOR DE ÁGUAS-
dc.titleAnálise de diferentes MDE no cálculo de área de drenagem e perímetro de estações fluviométricas na Sub-Bacia 76pt_BR
dc.title.alternativeAnalysis of different DEM in the calculation of drainage area and perimeter of fluviometric stations in the Sub-Basin 76 in South of Brazilen
dc.title.alternativeAnálisis de diferentes DEM en el cálculo del área de drenaje y perímetro de estaciones fluviométricas en la Subcuenca 76 en el Sur de Brasiles
dc.typeWorking Paperpt_BR
dc.subject.enDIGITAL ELEVATION MODELS-
dc.subject.enNATIONAL HYDROMETEOROLOGICAL NETWORK-
dc.subject.enTOPODATA-
dc.subject.enSRTM 30-
dc.subject.enASTER GDEM-
dc.subject.enARCHYDRO TOOL-
dc.subject.enPFAFSTETTER-
dc.subject.enSHUTTLE RADAR TOPOGRAPHY MISSION-
Appears in Collections:Trabalhos Apresentados em Eventos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PAP020757.pdfTexto603,78 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
diferentes_mde.pdfPôster752,43 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
tutorial_como_baixar_arquivos.pdfTutorial3,42 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
folder.zipImagens611,99 kBWinZipView/Open
Figura1_1000.jpgImagens18,92 MBJPEGThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.