Please use this identifier to cite or link to this item: http://rigeo.cprm.gov.br/jspui/handle/doc/19028
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCAVALCANTI, José Adilson Dias-
dc.date.accessioned2018-03-12T16:18:44Z-
dc.date.available2018-03-12T16:18:44Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationPINÉO, Tércyo Rinaldo Gonçalves (Org.). Geologia e recursos minerais da folha Parambu: SB.24-X-C-I. Fortaleza: CPRM, 2017. Escala 1:100.000.pt_BR
dc.identifier.isbn978-85-749-329-4-
dc.identifier.urihttp://rigeo.cprm.gov.br/jspui/handle/doc/19028-
dc.description.abstractEsta nota explicativa apresenta os resultados do mapeamento geológico, do levantamento geoquímico exploratório e da avaliação do potencial de recursos minerais da Folha Parambu, localizada na divisa entre os estados do Ceará e Piauí, nordeste do Brasil. A área está inserida na porção setentrional da Província Borborema e, mais especificamente, na Subprovíncia Ceará Central. Duranteomapeamentogeológicoforamcartografadasimportantesunidadeslito-tectônicaspertencentes a Subprovíncia Ceará Central: i) fragmentos do embasamento paleoproterozoico, representados pelos Ortognaisses Malhada Bonita, formados por uma sequência de rochas plutônicas máficas e ácidas, correlacionados ao Complexo Canindé do Ceará; ii) uma sequência vulcanossedimentar correlacionada ao Grupo novo Oriente; iii) uma sequência de rochas supracrustais de idade proterozoica, do Complexo Ceará , onde foram individualizadas as unidades Independência, Canindé e Arneiroz; iv) uma associação granito-gnaisse-migmatítica do Neoproterozoico, do Complexo Tamboril – Santa Quitéria (granitoides Santa Quitéria e Gado Bravo, Diorito Boi, diatexitos e metatexitos);v) o magmatismo Neoproterozoico/ Cambriano (granitos alcalinos Oiti, diques ácidos Guaribas e os diques básicos Rio Ceará-Mirim); vi) uma sequência de rochas sedimentares pertencentes a uma bacia molássica do estágio de transição (Grupo Rio Jucá da Bacia do Cococi); vii) e uma unidade composta por arenitos da Formação Jaicós, pertencentes ao Grupo Serra Grande, da Bacia do Parnaíba. Em relação ao potencial mineral, o destaque é para as ocorrências de barita e cobre hospedadas em brechas cataclásticas que ocorrem no interior do Grupo Rio Jucá e que também possuem relação direta com as zonas de cisalhamento que contornam a bacia e com o magmatismo alcalino Oiti que ocorre na borda norte da Bacia do Cococi. As ocorrências de mármore e manganês na Unidade Canindé, do Complexo Ceará é outro destaque. Esta unidade hospeda as principais ocorrências de manganês e mármore na Subprovíncia Ceará Central. As ocorrências de manganês associam-se a camadas de gondito hospedadas em sequências gnaissicas metassedimentares que encontram-se alteradas supergenicamente. O Grupo Novo Oriente é conhecido regionalmente pelo seu potencial para cromo. Na folha Parambu ocorre uma sequência de rochas metaultramáficas que foi correlacionada a formação Caraúbas, que é anômala em cromo e precisa ser estudada com maior detalhe. Nos arenitos da Formação Jaicós, além das belas escarpas e baixões que compõem a paisagem sertaneja, ocorrem uma série de abrigos(cavernas), paredões,torres de pedra e sítios de pintura rupestre de grande interesse científico, pois podem estar relacionadas com o processo de ocupação pré-histórica da região sul do estado do Piauí, onde se encontra o Parque Nacional da Serra da Capivara.pt_BR
dc.description.abstractEsta nota explicativa apresenta os resultados do mapeamento geológico, do levantamento geoquímico exploratório e da avaliação do potencial de recursos minerais da Folha Parambu, localizada na divisa entre os estados do Ceará e Piauí, nordeste do Brasil. A área está inserida na porção setentrional da Província Borborema e, mais especificamente, na Subprovíncia Ceará Central. Duranteomapeamentogeológicoforamcartografadasimportantesunidadeslito-tectônicaspertencentes a Subprovíncia Ceará Central: i) fragmentos do embasamento paleoproterozoico, representados pelos Ortognaisses Malhada Bonita, formados por uma sequência de rochas plutônicas máficas e ácidas, correlacionados ao Complexo Canindé do Ceará; ii) uma sequência vulcanossedimentar correlacionada ao Grupo novo Oriente; iii) uma sequência de rochas supracrustais de idade proterozoica, do Complexo Ceará , onde foram individualizadas as unidades Independência, Canindé e Arneiroz; iv) uma associação granito-gnaisse-migmatítica do Neoproterozoico, do Complexo Tamboril – Santa Quitéria (granitoides Santa Quitéria e Gado Bravo, Diorito Boi, diatexitos e metatexitos);v) o magmatismo Neoproterozoico/ Cambriano (granitos alcalinos Oiti, diques ácidos Guaribas e os diques básicos Rio Ceará-Mirim); vi) uma sequência de rochas sedimentares pertencentes a uma bacia molássica do estágio de transição (Grupo Rio Jucá da Bacia do Cococi); vii) e uma unidade composta por arenitos da Formação Jaicós, pertencentes ao Grupo Serra Grande, da Bacia do Parnaíba. Em relação ao potencial mineral, o destaque é para as ocorrências de barita e cobre hospedadas em brechas cataclásticas que ocorrem no interior do Grupo Rio Jucá e que também possuem relação direta com as zonas de cisalhamento que contornam a bacia e com o magmatismo alcalino Oiti que ocorre na borda norte da Bacia do Cococi. As ocorrências de mármore e manganês na Unidade Canindé, do Complexo Ceará é outro destaque. Esta unidade hospeda as principais ocorrências de manganês e mármore na Subprovíncia Ceará Central. As ocorrências de manganês associam-se a camadas de gondito hospedadas em sequências gnaissicas metassedimentares que encontram-se alteradas supergenicamente. O Grupo Novo Oriente é conhecido regionalmente pelo seu potencial para cromo. Na folha Parambu ocorre uma sequência de rochas metaultramáficas que foi correlacionada a formação Caraúbas, que é anômala em cromo e precisa ser estudada com maior detalhe. Nos arenitos da Formação Jaicós, além das belas escarpas e baixões que compõem a paisagem sertaneja, ocorrem uma série de abrigos(cavernas), paredões,torres de pedra e sítios de pintura rupestre de grande interesse científico, pois podem estar relacionadas com o processo de ocupação pré-histórica da região sul do estado do Piauí, onde se encontra o Parque Nacional da Serra da Capivara.-
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherCPRMpt_BR
dc.subjectRECURSOS MINERAISpt_BR
dc.subjectGEOLOGIA REGIONALpt_BR
dc.subjectPETROLOGIApt_BR
dc.subjectESTRATIGRAFIApt_BR
dc.subjectPROSPECÇÃO GEOQUÍMICApt_BR
dc.subjectGEOTECTÔNICApt_BR
dc.subjectSB.24-Y-A-IIIpt_BR
dc.subjectCEARÁpt_BR
dc.subjectESCALA 1:100.000pt_BR
dc.subjectCARTA GEOLÓGICA DE PARAMBU-
dc.titleGeologia e recursos minerais da folha Parambu: SB.24-Y-A-IIIpt_BR
dc.typeTechnical Reportpt_BR
dc.localFortalezapt_BR
Appears in Collections:Relatórios Técnicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PGB_Parambu_Final.pdfproducao cientifica55,31 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
mapa_geologico_parambu.pdf2,23 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.